Projeto Escrita Criativa : Um estranho na rua

E aí aquele conhecido, amigo, aquela pessoa que você confiava seus maiores segredos, que você podia contar em todos os momentos, aquela pessoa que você sabia que nunca abandonaria você, vira um completo estranho! É esquisito o quanto o tempo muda determinados pensamentos que já estão fixados na sua cabeça sabe?! O quanto as atitudes das pessoas influenciam em toda uma vida é uma coisa surrealmente complicada, e até dá medo as vezes. Na vida nós sempre acabamos tendo aquela pessoa que está sempre do seu lado, em todos os momentos e fases da sua vida, que você peeeeensa que nunca vai trair você, certo? E bota certo nisso. Claro, não vou generalizar nunca isso que eu tô falando, mas tô querendo citar os amigos que sempre foram pessoas que você não se imaginava sem, e daí, num passe de mágica, essa pessoa se torna um completo estranho, alguém que você não reconhece, que você olha, e vê que as ideias, os valores,absolutamente tudo foi embora, que aquela pessoa que era seu porto seguro, não existe mais, e sabe-se lá se um dia existiu realmente. Que a forma que ela olha você, que foi um dia cheio de ternura, hoje é um olhar vago, distante, quase que desprezo, ignorando sua existência por completo. E aí, você um dia esbarra com esse amigo na rua, vocês se olham, vocês param, você tenta esboçar um sorriso, e não sai. Você tenta dizer algo, e as palavras ficam presas na garganta, nada funciona, não importa o quanto você esteja ali, no sentido mais amplo da palavra 'estar', não importa nada disso. Aquele estranho, não está ali. Simplesmente, vocês vão embora, e você se força a não olhar pra trás, e por mais estranho e difícil que seja, você não olha, você não quer olhar na verdade, o passado já não importa mais!

** Esse texto faz parte do Projeto Escrita Criativa, para conhecer clique Aqui

2 comentários:

Profano Feminino disse...

Acho que ver alguém que se ama e confia se tornando um estranho é um dos piores sentimentos do mundo.

Blog Profano Feminino

A Beira dos 30 disse...

É muito triste quando isso acontece. Mas infelizmente acontece.
Adorei a maneira como você abordou o tema!

Beijos